Muitos dizem que os veículos antigos eram extremamente resistentes, mas na verdade os modelos atuais são mais confiáveis e quase não incomodam os donos com manutenções corriqueiras.

Nem é preciso entender de mecânica para saber que pelo menos uma vez por semana, é preciso calibrar os pneus, conferir todas as lâmpadas, abrir o capô e dar uma olhada geral, basta conferir se não existe nada solto, buscar sinais de vazamentos e checar o óleo, a água e os fluidos.

É necessário prestar muita atenção ao nível e aspecto do lubrificante do motor, líquido de arrefecimento, fluido de freio e outros reservatórios, como o usado pela direção hidráulica.

Outros cuidados importantes são, não rodar com o carro falhando ou fazendo barulhos estranhos e, por último, prestar bastante atenção na fumaça que sai do escapamento.

Quando o motor está perfeito, o escape não acumula nenhum material estranho. Se você encontrar um excesso de fuligem, borras oleosas ou ferrugem, é um primeiro sinal de problema. Peça para alguém manter o carro acelerado e avalie a fumaça.

Quais os problemas que a cor de fumaça pode significar?

  • Fumaça preta: Se o carro estiver soltando uma fumaça escura, com um cheiro forte de combustível, é muito provável que algo não esteja certo. Pode ser uma falha na injeção, sistema de ignição, válvulas, sensores ou filtro de ar.

    Se tiver um desses defeitos, o motor recebe mais combustível do que o necessário ou não consegue queimar o que entra nos cilindros. Além de aumentar o consumo, esse excesso contamina o óleo. 
  • Fumaça azulada: Uma fumaça cinza azulada, com cheiro de óleo queimado, também é bastante comum. Geralmente, costumam “condenar” o motor, em casos extremos, a única solução é a retífica.

    Primeiro, veja se o nível do lubrificante está abaixo do normal, exigindo que você complete com frequência. Nos motores atuais também existe um problema oposto: colocam óleo a mais.


Outra causa pode ser um desgaste dos anéis pela alta quilometragem, defeito na junta do cabeçote, falha nas vedações das válvulas, entupimento do sistema de ventilação do cárter ou avaria no eixo da turbina.

  • Fumaça branca: Apresenta um defeito raro, que é a queima do fluido de freio. Isso acontece quando o cilindro mestre tem algum defeito interno e começa a vazar para dentro do servofreio.

    Além de soltar uma fumaça clara pelo escapamento, com cheiro de fluido hidráulico, o carro costuma dar outros sinais de que algo está errado, como o pedal ficar estranho, e quando é preciso “bombear” para frear, entre outros problemas.
  • Vapor de água: Em dias frios, principalmente quando se abastece com etanol, é normal que o escape solte um pouco de vapor até o motor aquecer. Mas cuidado, hoje em dia, é comum adulterarem o combustível colocando mais água do que o permitido.

    Outro problema é quando o líquido do sistema de arrefecimento começa a sumir. A junta do cabeçote pode ter alguma falha e deixar a água vazar até o cárter. Confira se o óleo não está esbranquiçado ou tem sinais de umidade.

Ao identificar qualquer uma das situações que falamos, o importante é não “deixar para depois”. Procure um especialista e faça os reparos necessários. 

A ECOPADS oferece as pastilhas de freio com melhor custo-benefício do mercado. Visite o nosso site e confira nosso catálogo!